terça-feira, 18 de setembro de 2012

Os Intocáveis -The Intochables / França -2011



Responda rápido: um filme sobre a amizade improvável de um milionário aristocrata tetraplégico e um jovem da periferia meio malandro que vive à custa do seguro-desemprego pode ser engraçado? Nas mãos da dupla Eric Toledano e Olivier Nakache, o filme Os Intocáveis (The Intouchables), dribla esse mote potencialmente melodramático, e cria o filme mais divertido que vi esse ano, sem desperdiçar o potencial emocional  do filme.

Baseado no romance autobiográfico Le second souffle suivi du Diable gardien ( no Brasil, O Segundo Suspiro), de Philippe Pozzo di Borgo que narra a História de Philippe (François Cluzet), homem rico de origem nobre que se torna tetraplégico depois de uma acidente. Em uma seleção para escolher um enfermeiro para atendê-lo, conhece Driss (Omar Sy, em interpretação sensacional), um imigrante senegalês desajustado que está lá, na verdade, não para arrumar o emprego, e sim para conseguir uma assinatura em um papel para que ele continue recebendo um seguro-desemprego.
Philippe convence Driss a trabalhar com ele um mês, pois o senegalês era o único que o tratava com diferença. Driss aceita de olho na grana que vai ganhar e do choque dessas realidades opostas nasce uma amizade que rompe barreiras e muda radicalmente a vida das personagens do filme.


Os Intocáveis é aquele tipo de filme que te faz pensar e te diverte ao mesmo tempo. O roteiro, que foi escrito pela dupla de diretores, tem como principal mérito transmitir honestidade ao discutir o abismo entre o mundo dos dois homens e abre mão de procurar a “lágrima fácil”. Em nenhum momento é criado um clima de comoção apelativa ao redor dos problemas das personagens, como acontece em quase todos os filmes em temas similares.

Outro grande acerto é a química entre o elenco, sobretudo, entre os dois protagonistas. Francois Cluzet perfeito. Seu Philippe transmite um misto de melancolia e sobriedade que se choca com a surpreendente, carismática e genial interpretação de Osmar Sy.  
Grande Filme!

Um comentário:

  1. Que filme,amor!!!Simplesmente maravilhoso!
    Sensível e de uma sutileza única ao abordar um assunto onde facilmente se cai num "coitadismo".
    Como você disse, química perfeita, que resultou no melhor filme que assisti nesse ano.
    Claaaaro...quem me indicou? Você,amor meu! Sempre você!

    ResponderExcluir