terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

O Discurso do Rei - The King´s Speech - 2010

-

Filmes de época com atores ingleses são uma das combinações mais bem sucedidas da história do cinema. Isso fica evidente nas premiações do Oscar, onde sempre aparece algum vencedor. Seja no prêmio principal, como em: Hamlet (1948), Lawrence da Arábia (1962), As Aventuras de Tom Jones (1963) entre outros; ou em prêmios menos importantes, como: Ben Kingsley em 1992 em Gandhi, Paul Scofield em 1967 por O Homem que não vendeu sua alma e Alec Guinness em 1957 por A Ponte do Rio Kwai .
Esse ano, o filme da vez é o “Discurso do Rei” do Inglês Tom Hopper que entra na disputa por nada mais, nada menos do que 12 estatuetas na premiação americana.

O filme narra à história de Albert Frederick Arthur George, o Duque de York (Colin Firth em interpretação arrebatadora). Filho do meio do Rei George V do Reino Unido e terceiro na linha de sucessão da coroa. Albert, que mais adiante será o Rei George VI, era gago e não conseguia articular um misero diálogo, quanto mais pronunciar discursos como manda o protocolo de sua posição. Em companhia de sua esposa, Elizabeth (Helena Bonham Carter, sempre competente), Albert sai à procura de especialistas que possam o ajudar com seu problema de fala. Em uma de suas consultas, ele conhece Lionel Logue (Geofrey Rush, genial), um ator fracassado e com certa experiência no problema que Albert tem, e desse encontro improvável entre pessoas de mundos opostos nasce uma amizade verdadeira e emocionante.

O diretor Tom Hopper, que fez de alguns trabalhos na TV poucos filmes para o cinema, entre eles o mais interessante “Maldito Futebol Clube”(2009), não abusa e faz, inteligentemente, um trabalho discreto na direção. O filme corre sem planos longos ou grandiosos e seqüências elaboradas, mas centrado na carga emocional que o trabalho de Colin e Geofrey oferece. Apoiado na belíssima trilha sonora e no roteiro de David Seidle,que coloca em uma perspectiva menor os problemas que o mundo passava (Grande Depressão e II Grande Guerra Mundial) para centrar na amizade de “Bertie” e “Lionel”. Um belo Filme!

2 comentários:

  1. Realmente o trabalho dos atores foi excepcional, amor.
    Valeu o ingresso do filme!

    Todos os meus beijos para você

    ResponderExcluir
  2. Hummm...que delícia é assistir a um bom filme ao seu lado,amor!
    E esse foi um dos mais mais!Gostei demais e para variar...cheguei às lágrimas.
    Que bom que você,como sempre,estava a postos para enxugar meu pranto...

    Eu te amo!

    ResponderExcluir