sábado, 22 de janeiro de 2011

Abutres (2010) Pablo Trapero

Quando o filme Abutres (Carancho - 2010) do ótimo realizador Pablo Trapero (A Família Rodante e Leonera) foi lançado, os olhos dos amantes do cinema se voltaram para a fita. Todos esperavam a confirmação da excelente fase que vive o cinema argentino e, conseqüentemente, esperavam um filme à altura de “O segredo dos seus olhos” de Juan José Campanella, já que o primeiro tentaria representarar a Argentina no Oscar desse ano,mas acabou ficando de fora da lista final de indicados.

O filme narra o relacionamento improvável entre Lújan , uma médica viciada em drogas que presta socorro a vítimas de acidentes de carro (Martina Gusman, mulher de Trapero, em interpretação apenas satisfatória), e Sosa(Ricardo Darín, em atuação não tão inspirada, como é de costume ), o abutre do título, um advogado oportunista que vive de um esquema de golpes à seguradoras e aos seus clientes. E do choque desses dois mundos, onde suas personagens estão à beira de se perderem, nasce um amor que pode redimir ambos.

O resultado do filme é irregular, mas vale o ingresso, pois cumpre, até certo ponto, as questões levantadas no primeiro parágrafo. O filme alia momentos de rara beleza, onde o cinema de Traprero se impõe, como nos movimentos inusitados das câmeras, na fotografia certeira e no roteiro repleto de diálogos ácidos e inspirados, por outro lado, decepciona em seus problemas técnicos (a qualidade do som no início do filme  é sofrível), na obviedade de algumas conclusões que o filme apresenta  e na falta de química do casal de protagonistas.


Um comentário:

  1. Apesar desses poréns,eu gostei desse filme,amor!
    Tenso e cruel...será o benedito que existe esse tipo de coisa mesmo???Aff!

    Beijos apaixonados da sua fã número um!

    ResponderExcluir