quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Sobre o Cisne de Stéphane Mallarmé - Eduardo Guimaraens

Un gygne d´autrefois se souvient que c´est lui.
Stéph. Mallarmé

Um Sonho existe em nós como um cisne num lago
de água profunda e clara e em cujo fundo existe
outro cisne alvo e triste, e ainda mais alvo e triste
que a sua forma real de um tom dolente e vago.

Nada: e os gestos que tem, de carícia e de afago,
lembram da imagem tênue, onde a tristeza insiste
por ser mais alva, a graça inversa em que consiste
a dolente mudez de um espelho pressago.

Um cisne existe em nós como um sonho de calma,
plácido, um cisne branco e triste, longo e lasso
e puro, sobre a face oculta de nossa alma.

E a sua imagem lembra a imagem de um destino
de pureza e de amor que segue, passo a passo,
este sonho imortal como um cisne divino!

Um comentário:

  1. Que lindo!Foi possível sentir o farfalhar das folhas ao redor do lago sereno...
    Ai,ai...

    Beijos,meu lindo!

    ResponderExcluir