quarta-feira, 24 de março de 2010

Desintegração

Para Augusto dos Anjos

Certos dias, tudo se desintegra dentro de mim...
A distância entre o que sou e o que quero aumenta sem fim
A tristeza se propaga silenciosamente com um vírus,
Alimentando-se de tudo que brilha em meu corpo
Ao som da sinfonia deplorável de grito de um anjo morto.

Sentado em meio a labaredas do meu inferno interno
O som passa cortando minha pele congelada em frio eterno.
Lágrimas perfeitas esfaqueiam sorrisos em pânico
Pensamentos se enfrentam em bagunça simétrica
Desfilam horrores, desejos e lembranças heréticas.
(Roberto Valerio jr.)

2 comentários:

  1. Como é possível extrair perfume de espinhos?Como é que alguém pode ter o dom de,num momento de tristeza,falar sobre aquilo de forma tão bela?
    Isso é para poucos.Apenas para os poetas...

    Meu lindo amor...meu poeta...Você é MARAVILHOSO!E grito para que todos possam ouvir:EU AMO VOCÊ!!!

    ResponderExcluir