sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Um Soneto para minha Musa Lua(Título provisório)

Para Sandra Gambs
Branca lua que brilha para minha alma.
Estrelas digladiam-se por seu esplendor.
Quasares com luz pálida tremem de horror.
Abismos no céu despejam ferocidade calma.

Corpo etéreo de cristal que refaz o universo,
Onde matérias voláteis e elétricas sufragam,
Estranhos pulsares e eternidades que propagam
O psicodélico perfume que flutua perverso.

Uma Constelação cansada assiste curiosa:
Um homem amando uma lua-mulher grandiosa,
feliz, pulsátil e acorrentado em sua gravidade.

Calmamente, seus copos bailam suavidade,
Perdidos em carinhos de dimensão secular
E beijos quentes e orgasmos em fusão-nuclear.

(Roberto Valerio Jr.)

5 comentários:

  1. Meeeu Deus!Amor meu...como sou privilegiada por tê-lo ao meu lado!A cada novo dia,tenho uma surpresa linda...um novo presente.
    Você existe mesmo?Vou pedir para você me beliscar,para ter certeza de estar acordada...rsrs.

    Beijos suaves e cheios de amor!

    ResponderExcluir
  2. Astronomia e amor em um soneto de Olavo Bilac. O parnasianismo encontra Einstein, em um poema que desafia a relatividade. Gostei.

    ResponderExcluir
  3. Gambs, o privilégio é meu de viver contigo!!
    Sua comapanhia é maravilhosa e tudo que fazemos juntos é perfeito!!
    Você não cansa de me deixar assim: cada vez mais apaixonado?

    Beijos cinematográficos para você, minha MUSA!

    ResponderExcluir
  4. Edu,
    Gentil definição! Obrigado, amigo.
    Aliás, as suas definições são as melhores.

    Abraço, Seu Dotô!

    ResponderExcluir
  5. Amado meu...nunca ficarei cansada para alimentar nosso amor!
    E você está coberto de razão:TUDO é perfeito ao seu lado!

    Beijos de mocinha no final do filme...e com o pezinho levantado p trás,ok?

    ResponderExcluir