sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Haroldo de Campos

EX/PLICAÇÃO


não há um
sentido único
num
poema

quando alguém
começa a ex-
plicá-lo e
chega ao fim
en-
tão só fica o
ex
do ponto de
partida

beco

(tente outra
vez)

sem saída

Nenhum comentário:

Postar um comentário