quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Charles Baudelaire - A Musa doente

O que tens, pobre musa minha, esta manhã?
Povoam os teus olhos as visões noturnas
E vejo refletidas na pele malsã
A loucura e a dor, sombrias e soturnas.

O súcubo verdoso e o róseo satã
Melaram-te no cio que vertem das urnas?
O pesadelo, mão despótica e pagã,
Afogou-te no fundo de um falso Minturnas?

Quisera que banhada numa aura sã
Tivesses sempre a mente robusta e louçã
E teu sangue cristão fluísse sem fadigas

Na cadência do som das sílabas antigas,
Domínio do poeta pai do nosso clã,
Febo, e do senhor da messe, grande Pã.

3 comentários:

  1. foi assim, estava assistindo um filme e a mae de um menino pediu para que o filho recitasse alguns versos de georges bataille. ai algm na sala perguntou quem era o tal. eu fui até o google, digitei o nome do monstro e apareceu seu blog;.
    a cena lá em cima é do imperio dos sonhos, o que acabou me motivando a comentar.
    comentar é uma palavra estupida.
    pense. eu comentando. fazer um comentario.
    as pessoas nao podem simplesmente falar o que pensam°?

    ResponderExcluir
  2. Vamos por partes!

    1 - Qual era o nome do filme e da mãe do menino?(informações capitais para nossa conversa)

    2 - Se o oráculo do google o trouxe aqui em sua máxima sabedoria, quem somos nós para questionar?

    3 - Aquela foto lá em cima é da monha família. David Lynch roubou aquela imagem de um sonho meu.

    4 - Existem comentário que são meros comentários, aí você está certo. Mas, existem
    comentários que são muito mais comentários, percebe? Portanto, partindo desse comentário que fiz em resposta ao seu comentário, não deixa dúvidas qual tipo de comentário estamos comentando.

    Volte sempre, escrivão...

    ResponderExcluir
  3. Uaaau!

    Que baita diálogo!Mentes em atividade sempre geram movimento!

    Beijos,meu querido!

    ResponderExcluir