quinta-feira, 25 de junho de 2009

John Cage - 4'33

A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original.... de Albert Einstein.




Não amigos e amigas, o blog não mudou sua proposta. O post não é uma pegadinha e nem eu estou perdendo a pouca sanidade que me resta, podem ficar tranquilos. O concerto para piano que acabaram de "ouvir" é de autoria do compositor americano John Cage( 1912/1982).

Cage foi um dos mais importantes compositores e teóricos musicais do século passado, desenvolveu uma obra iconoclasta, radical e influente, que tinha a intenção de destruir o formalismo representativo tradicional musical; empregando o acaso, a improvisação e o silêncio como elementos construtivos. A desconstrução formal da musical não começaram com o americano, o austríaco Arnold Schönberg, que foi professor de Cage, já estudava alternativas para substituir o sistema tonal, que marcara a história da música desde inícios do século 17, mas nas mãos de Cage isso foi levado até as ultimas consequências. A música, o silêncio e o ruído passam a serem partes do mesmo todo.

“Entre suas composições mais famosas vemos: Imaginary Landscape nº 4 uma musica caótica executada por 12 aparelhos de rádio ligados simultaneamente; e a peça para piano 4’33” (lê-se quatro minutos e 33 segundos). Sabe-se que: musica é o arranjo intelectual e ordenado de sons e pausas intercaladas distribuídas no tempo, mas em 4'33 não ha execução de uma nota sequer e o silêncio é preenchido pelos ruídos ambientes dos teatros.

Com a 4'33, John Cage criou uma música que é apresentada sempre da mesma forma, um músico sentado no meio do teatro sem executar uma nota sequer, mas que alcança um resultado diferente a cada apresentação, pois o comportamento, a interação e reação das pessoas que a assistem se apresentam sempre de maneira diferente, desse modo a música é criada pela plateia que assiste ao espetáculo.

Há ainda além da inovação na proposta musical, uma análise, mas reflexiva do papel da arte e de sua função. Genial!


John Cage Sonata V eu um piano "preparado" pelo compositor

2 comentários:

  1. John Cage é desses pensadores que estão muito a diante do seu tempo! É como ler James Joyce sem conhecer filologia...Assusta!
    Vc continua me surpreendendo sempre com seus textos e escolhas tão apuradas.

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelo comentário, Si...

    É um grande prazer receber seus comentários aqui no blog, pois além de bem-educados e bem-humorados, sempre acrescentam algum conteúdo e ou alguma informação.

    Saiba também que me surpreendo positivamente com seus posts! Não deixo de entrar um dia no malgueta sweet!

    Beijos

    ResponderExcluir