segunda-feira, 2 de março de 2009

Peanuts


É impossível não se emocionar e com Charlie Brown, ou Minduim para os íntimos, personagem de quadrinhos e desenho criado Charles Schultz, que teve sua primeira publicação em 1950 no formato de história em quadrinhos no St. Paul Press chegando a aparecer em até 2.600 jornais ao redor do mundo, e ainda hoje e publicado em alguns países.

Devido ao grande sucesso das tiras, a partir da década de 70 foram produzidos alguns desenhos animados para a televisão, que foram a porta de entrada para aqueles que eram crianças dos anos 80, classe qual me incluo, nesse universo mágico do Charlie Brown e companhia.

Minduim (peanuts no original) era uma garoto pensativo, melancólico e sensível que encarava as tristezas da terna idade de maneira digna e positiva, tinha uma paixão não concretizada por uma certa "garotinha ruiva", era constantemente sacaneado por Lucy, tanto em seu "Consultório psiquiátrico" quanto nos jogos de futebol, onde ela sempre ajeitava a bola para Charlie chutá-la, mas tirava na hora "H" fazendo o pobre garoto cair de maneira humilhante.

E não é só da Lucy que Charles é vítima, sua irmã Sally frequentemente se aproveita da sua bondade, assim como Snoopy seu cão sonhador e com mania de grandeza.

As outras personagens do quadrinho também eram muito boas, como o amigo de Charlie, Linus irmão de Lucy, que vivia grudado ao seu cobertor; Marcy uma garota muito inteligente que era apaixonada pelo Minduim; Patty Pimentinha(que na dublagem da época virou Betty) que também tem uma queda por Charlie, com quem inusitadas conversas telefônicas; Shoroeder um garoto que adora Beethoven e não dá a mínima para Lucy, que é apaixonada por este; e o Woddstock um passarinho que é companheiro do Snoopy.

Além da inteligência das situações e das tiradas de excelente humor, o que faz a obra de Schultz ser tão cultuada e não se perder no tempo é a maneira com o Minduim desperta nossa compaixão e a nossa identificação com seus dramas. Por mais que qualquer um tenha tido um infância feliz ou que seja demoníaco como o Bart Simpson, na certa em algum momento gostou de alguém que nem sabia que você existia, ou tentou chutar uma bola e alguém a puxou o fazendo cair ou simplesmente já pensou no sentido da vida, ou seja, todo mundo já foi um Charlie Bronw um dia.


3 comentários:

  1. Amor...esse amor pela garotinha ruiva é tão lindo!Parece o nosso...

    Beijos apaixonados da garotinha ruiva da sua vida!

    ResponderExcluir
  2. Nada se compara ao nosso amor, minha garotinha ruiva!

    Beijos "que puxa" para você!

    ResponderExcluir
  3. Hummmm...você tem toda razão:o nosso é muuuuuito mais lindo!!!Que puxa...rsrsrsrss...

    Beijosssssssss

    ResponderExcluir