terça-feira, 31 de março de 2009

Não Gostei do Filme dos Irmãos Coen, e daí?


Antes de entrar no assunto a ser abordado, duas reflexões:

1ª - É impressionante como alguns artistas consagrados sejam blindados à críticas. Como se tudo que fizeram no passado já justifique a tudo que se prestem a fazer. Milhares de olhares complacentes que ao analisarem um objeto, um livro ou um filme demonstram uma benevolência extrema com o artista, embora as vezes isso não seja realista.

2ª - A internet socializou os comentários e as opiniões certo? Um grande número de pessoas gasta tempo e energia e falando sobre os mais variados assuntos, como eu por exemplo, aqui nesse espaço destilo comentários sobre alguns assuntos que mais gosto e pesquiso. E mesmo falando alguma besteira, estando certo ou errado, tenho certeza que sou honesto comigo e com aqueles que aqui entram.(fazendo média)

Há um número muito grande de site e blogs que desenvolvem a mesma temática desse aqui, cujo conteúdo é 90% arte e cultura, uns melhores, mais lidos e mais cheirosos e todos com opiniões tão iguais que até assustam.

Pensariam todos tão iguais assim no mundo virtual?

Alguns até enxergam qualidades onde normalmente veriam defeitos. Em um blog famoso li:"que o filme despretensioso e por isso é charmoso"; ou em outro." O filme é cheio de bobagens que diverte"...
Nada demais nas sentenças acima. É viável acontecer o descrito, porém, já vi essas mesmas pessoas pixarem outros filmes pelos mesmos motivos.
Quer dizer: se o Manezinho faz um filme despretensioso ou bobo é ridículo, agora se for um cineasta com pedigree pode...Fala sério...

Entremos no assunto,

Ontem assisti ao último filme dos irmão Coen "Queime depois de Ler"2008 (Burn After Reading) e não gostei, já aviso de antemão. Porém, hoje pela manhã li diversos comentários sobre o filme e para minha surpresa todos gostaram! Até ai tudo bem...Ninguém é obrigado a ter a mesma opinião que a minha e assinar embaixo o que eu acho. Opiniões são individuais , intransferíveis e inegociáveis, mas algumas que li estavam tão imprecisas que me pergunto se os tais "críticos" e "palpiteiros" teriam mesmo visto o filme?

Os irmão Coen são uma espécie de lenda no Cinema Americano, começaram independente e passaram aos grandes estúdios sem perder o estilo peculiar. Seus filmes são encharcados de violência e criticas ao "Amercan Way of Wife" e sua falsa moralidade com muito humor negro, em suma, todos os ingredientes para agradar os modernos ávidos por um cinema menos convencional.

A filmografia dos Coen é realmente relevante para a sétima arte, de 1984 com sua estréia "Gosto de Sangue"(Simple Blood) até 1999 com o Big Lobowski foi só grandes filmes! Raising Arizona 1987, Miller´s Crossing 1990, Barton Fink 1991, The Hudsucker Proxy 1994 e Fargo 1996, mas o quadro mudou a partir dos anos 2000, periodo no qual oscilou muito a qualidade dos seus filmes. Para cada " O homem que não estava lá " 2001 (The Man Who Wasn't There) e "Onde os fracos não têm vez " 2007 (No Country for Old Men) excelentes, viam uns filmes menores como: "Matadores de velhinha"2004 (The LadyKillers), Intolerable Cruelty 2003 (O amor Custa Caro) e agora esse queime depois de ler.

O filme conta a história de Osborne Cox (Jonh Malkovich), um agente da CIA que ao ser afastado de suas funções se demite e decide escrever suas memórias expondo alguns segredos do governo. Esse manuscrito cai nas mãos de Chad (Brad Pitt) e Linda (Frances Mcdormand), dois instrutores de uma academia que vêm na situação um oportunidade para ganharem uma grana, e ai a confusão está armada, uma série de perseguições, paranóia e traições, bem ao estilo da comédia de erros que os Coen já usaram em outros filmes, com maestria em Fargo, principalmente.

O filme tem alguns bons momentos, mas no resultado final decepciona. E nem a direção de elenco, um dos pontos forte de Joel, se sobressai. Nomes de peso como Jonh Malkovich, Tida Swinton e Francis Mcdormand estão apenas burocráticos enquanto George Clooney aparece no pior momento de sua carreira, canastríssimo. Apenas Brad Pitt, que pareceu muito a vontade e entrou no espírito farsesco da trama, e interpretação sóbria de Richad Jenckins se salvaram.

Resumindo: não gostei do filme dos irmãos Coen, e dai?

2 comentários:

  1. Oi!!!

    Bem, eu sempre leio o seu blog, mas quase nunca comento... Em geral, fico com medo de falar bobagem... Sou muito tímido.

    Olha, eu gosto bastante de acompanhar o cinema através dos vários blogs e sites que existe, e achei interessante vc comentar sobre algo relacionado a socialização de opiniões promovida pela internet...

    Enfim, seus posts são muito legais! Você escreve muito bem!

    Abraços, Lucas!

    ResponderExcluir
  2. Lucas,

    Obrigado pelo comentário.
    Sinta-se a vontade para comentar, concordar ou dicordar.
    É sempre bom debater e trocar ideias.

    Abraço

    ResponderExcluir