sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Rock´n Rolla - A Grande Roubada


Depois de uns filminhos meia-bocas, como por exemplo, "Destino Insólito (2002)" e "Revolver (2005)" - que foram às duas horas mais mal gastas da minha vida - Guy Richie voltou ao que sabe fazer de melhor, falar dos tipos marginais e da bandidagem da capital de sua terra natal, Inglaterra.
Em "Rock´n Rolla - A Grande Roubada", ele retorna em grande estilo.Como já havia acontecido em "Snatch Porcos e Diamantes (2000)", que repetia mesmas as situações levemente modificadas e as personagens com as de "Jogos e Trapaças e Dois Canos Fumegantes (1998)", em Rock and Rolla está tudo ali novamente, os chefões inescrupulosos; um objeto que vai causar toda a confusão, aqui é um quadro, em "Snatch" era um diamante, e Jogos e Trapaças" eram as armas; e os bandidos descolados, e do bem com nomes maneiros.
Essa repetição que a principio pode parecer oportunismo ou falta de inspiração, no caso do último filme de Richie isso passa longe, pelo tratamento e pelo resultado que ele consegue.Resumir qualquer filme de Richie não fácil, são vários fios narrativos, muitas personagens que engenhosamente se cruzam e se amarram no decorrer da historia. Em Rock'n Rolla temos Lenny Cole(Tom Wikinson, muito bem como sempre) um gangster metido com o construção e com o mercado imobiliário, que faz um acordo para "facilitar" para um magnata e também gangster russo Uri Omovich(Karel Roden) que quer construir um estádio de futebol( numa clara alusão a Roman Abramovich, dono do Chelsea) em um local não apropriado.O Russo tem um quadro que considera seu amuleto da sorte e o empresta para Lenny para esse devolver depois que o negócios entre os dois esteja liquidado, porém Johnny Quid(Toby Kebbell), um músico junkie e enteado de Lenny, rouba o quadro dando início a uma verdadeira confusão, e no centro desse furacão One Two(Gerald Butler) e seu bando os The Wild Bunch e Stella(Tandie Newton) a contadora do mafioso russo.
O filme conta com o habitual estilismo técnico de Riche, seus diálogos incessantes e sua montagem acelerada, mas a grande sacada do filme é dar ênfase ao humor e deixar um pouco de lado a violência explicita tão comum neste tipo de filmes.

Rock´n Rolla tem momentos cômicos muito bons, como por exemplo, quando One Two e persguido por dois gangsteres russos, e também a cena de um suposto affair gay entre os membros do Wild Bunch, memoráveis!Bom, se Guy Richie tinha desperdiçado 2 horas da minha vida em "Revolver", devolveu agora em Rock and Rolla!

Um comentário: