domingo, 25 de janeiro de 2009

Day in, Day out


Control, filmaço de Anton Corbijn que retrata a curta, porém intensa carreira de Ian Curtis vocalista do Joy Division, uma das mais influentes bandas de rock da história da música.

Tudo funciona muito bem nesse filme a começar pelo elenco afinadíssimo. Destaque para Samatha Morton, que dá corpo para Deborah Curtis, esposa do cantor, e o novato Sam Riley, em uma atuação visceral e muito convincente de Ian Curtis, além de possuir uma semelhança incrível com o cantor.

A Manchester retratada no filme excelentemente fotografada em preto e branco realça junto às músicas soturnas da banda ainda mais a angústia do cantor.

Outra qualidade do filme e o viés humano que conferem ao cantor, ao contrário da maioria dos filmes sobre os astros da música que os colocam como sobre humanos e glamorosos, o filme nos mostra um Ian Curtis Frágil, sem confiança e incapaz de tomar uma atitude sobre sua vida pessoal. Juntando isso ao estranhamento ao sucesso, em um momento de fraqueza o cantor tira a própria vida.

Ian Curtis foi um artista, como tantos outros, que não conseguiu sobreviver à pressão capitalista que são infligidas a algumas dessas pessoas que as vezes que têm que deixar a humanidade de lado para viver esse mundo de ilusões chamado show business.


Abaixo o Joy Division do filme em cena do mesmo tocando Dead Souls, clássico absoluto da banda.

Joy Division - Dead Souls (Performance From "Control")



As letras do Ian Curtis eram à cima da média das bandas de rock da época.
confira abaixo a letra da música acima.

Almas Mortas

Alguém afaste estes sonhos
e me direcione para outro dia
um duelo de personalidades
estas estranhas, antigas, verdadeiras realidades
e continuam a me chamar
eles continuam a me chamar
continuam a me chamar
eles continuam a me chamar

Quando vultos do passado assomam
e vozes zombeteiras ressoam no corredor
templo imperialista
conquistadores que pegaram sua parte
e continuam a me chamar
eles continuam a me chamar
continuam a me chamar
eles continuam a me chamar

Me chamando, me chamando
eles continuam a me chamar
continuam a me chamar
eles continuam a me chamar
eles continuam a me chamar

2 comentários:

  1. A melhor letra é a de "Isolation", que tem o melhor verso da música pop: "A vida quando chega à perfeição/Parece-se apenas com todo o resto".

    ResponderExcluir
  2. Para mim também "isolation" é a melhor letra do Curtis, era a minha primeira escolha para o post, porém não encontrei o video que, por sinal também toca no filme, e achei que não ficaria legal postar a letra sem a música.

    ResponderExcluir